Pedais de Efeito: Entendendo o básico

Blog do Music Jungle

Por Equipe Music Jungle em 27 de Setembro de 2017

Se tem uma coisa que brilha os olhos de todo guitarrista, são os pedais de efeito. Pedal de efeito talvez seja a categoria de equipamentos musicais em que existe a maior variedade de produtos. Sempre haverá um pedal para o som que você procura.

O grande problema vem quando queremos realmente achar esse som que procuramos. No fundo você tem uma intuição de qual o som você quer tirar, mas qual será o pedal que vai te dar aquele timbre sonhado? Será que você sabe diferenciar um Phaser, de Flanger e um Chorus?

Fizemos aqui um resumão sobre o que significa cada efeito, com exemplos, vídeos e um link apontando para onde você pode comprar esse tipo de pedal.

 

Boost

O pedal de boost é o mais simples, mas um dos mais úteis que você pode ter em sua pedaleira. Ele basicamente aumenta o sinal que está passando por ele. Você pode usar ele para dar um destaque maior para uma guitarra que tem uma saída baixa, ou então empurrar o seu amplificador. Isso é muito bom para aquela hora do solo, para aumentar o volume ou ganho do sinal da guitarra.

Alguns boosts são transparentes, ou seja, mantém sua equalização e timbre enquanto empurram o sinal. Outros adicionam uma cor ao som quando acionado - um pouco mais de médios ou agudos, geralmente. Entenda a característica do Boost antes de escolher o seu.

Destaques: MXR Micro AMP, Xotic EP Booster, TC Eletronic Spark Mini.

 

 

 

 

 

 

Overdrive e Distorção

Esses são os pedais de Drive, ou de Ganho como também costumam ser chamados. A história dos drives vem dos primórdios da guitarra, de quando os guitarristas precisavam obter uma saturação a mais dos seus amplificadores, sem precisar chegar em volumes estratosféricos. Se você é novo no maravilhoso mundo dos pedais, deve estar tentando entender a diferença entre Overdrive e Distorção. A diferença é que a Distorção é usada para se atingir sons mais agressivos, mais rasgados e com mais sustain, como o Metal ou Hard Rock.

Por outro lado, os Overdrives são muito utilizados para simular o som dos amplificadores valvulados com volumes bem altos, resultando naquela saturação quente, gostosa, ideal para tocar blues ou rock clássico.

Overdrives em destaque: Fulltone OCD, Ibanez Tube Screamer, Electro-Harmonix Soul Food, Boss SD-1.

Distorções em destaque: Boss DS-1, Wampler Triple Wreck, Pro Co Rat, Boss MT-2 Metal Zone.

 

 

 

 

 

 

Delay

Delay nada mais é do que um efeito de eco. Porém, você pode conseguir muito mais dele se aprender a usá-lo com maestria. Os controles mais importantes são o "Tempo" que controla a distancia entre as repetições e o "Repetições" que controla a quantidade de repetições. Mas com delays, sempre damos essa dica: menos é mais. Você pode chegar de um som parecido com um reverb de rockabilly até os loops do The Edge.

Destaques: MXR Carbon Copy, Boss DD3.

 

 

 

Octave

Um pedal de octave aumenta ou abaixa o seu tom em uma ou mais oitavas. Esse pedal pode fazer seu som crescer de uma forma muito interessante, preenchendo o som como um todo. O ideal é pegar um pedal que tem um controle de Mix, em que você possa controlar a quantidade de efeito que irá colocar. Esse efeito foi muito usado pelo Jimi Hendrix, combinando com um fuzz. Hoje ele é muito usado por Tom Morello e Jack White.

Destaques: Electro-Harmonix Micro POG, Boss OC-3 Super Octaver.

 

 

 

Tremolo

O tremolo é um efeito bastante vintage, pode ser muito encontrado em gravações de blues. O Tremolo diminui a intensidade do seu sinal em intervalos regulares. Ele funciona como se houvesse uma máquina diminuindo e aumentando de volta o seu volume do amplificador. Parece algo bastante simples, mas o tremolo pode adicionar uma textura muito interessante ao seu som. Colocando ele de forma bem sutil, ele trás um tempero a mais no som. Colocando de forma bem intensa, quase como um helicóptero, pode trazer o drama que você quer naquelas bases mais pesadas.

Destaques: Voodoo Lab Tremolo, Boss TR-2, Eletro-Harmonix Pulsar.

 

 

 

Compressor

O compressor funciona de uma forma bastante sutil. Ele mantém o seu sinal com uma certa constância: previne que o som tenha picos de volume, e que ele diminua muito. Com isso, ele acabam por aumentar o sustain e manter a dinamica da sua forma de tocar. Esse efeito é muito utilizado no funk, onde existem aquelas bases ritmicas, grooveadas. Além de usar para ter um som limpo mais brilhante, você também pode usá-lo para ter sons distorcidos com mais sustain.

Destaques: MXR Dyna Comp, Xotic Effects SP Compressor, Joyo Dyna Compressor.

 

 

 

Fuzz

Diferente da distorção ou do overdrive, o fuzz não foi desenvolvido para soar como se fosse um amplificador. Não foi desenvolvido para adicionar conteúdo harmônico, nem para dar aquelas pitadas transistorizadas no seu timbre. Fuzz foi muito usado na década de 60 para criar uma distorção exagerada. Muitos fuzzes irão alterar completamente o som do seu amplificador, portanto estude bastante antes de escolher o seu.

Destaques: Dunlop Fuzz Face, Electro-Harmonix Big Muff, Sola Sound Professional MKII Tone Bender, Hellbender Deep Trip, BOG Deep Trip, Kryptone Deep Trip

 

 

 

Chorus

Um efeito que duplica e desafina levemente o seu sinal. Pode trazer um efeito muito interessante, trazendo mais cor e acentuando o que você está tocando. Apesar da grande maioria usar o chorus no som limpo, alguns guitarristas como Zakk Wylde usam na hora do solo, obtendo um efeito de duplicação do sinal.

Destaques: Boss CE-2, MXR Analog Chorus, TC Electronic Corona Chorus.

 

 

 

Reverb

Reverb é um dos efeitos mais fundamentais para todo guitarrista, e já vem de fábrica na maioria dos amplificadores. Reverb adiciona mais profundidade ao seu som. Esse efeito é tão usado em gravações que já virou quase que obrigatório. Spring e Plate são os tipos mais comuns de reverb, mas cada vez mais vemos novos tipos surgindo por aí que valem a pena ser conferidos. 

Destaques: Electro-Harmonix Holy Grail, TC Electronic Hall Of Fame

 

 

 

 

Phaser

O Phaser já foi usado de tantas maneiras que vale a pena ser estudado mais a fundo. Ele adiciona ao seu som uma nova versão do seu sinal, mas fora de fase, dando um efeito rodopiante do som que pode te dar muitas possibilidades sonoras. Para entender melhor o que acontece, confira os solos do Eddie Van Halen, ele usa o Phaser para dar mais movimento ao seu som na hora do solo.

Destaques: MXR Phase 90, Electro-Harmonix Small Stone.

 

 

 

Vibrato

Muitos iniciantes confundem o Vibrato com o Tremolo, afinal o funcionamento é parecido. O Vibrato altera o tom do sinal em uma frequência constante. A diferença sonora é que o Vibrato irá adicionar um movimento no seu timbre, sem o efeito cortante do Tremolo, ficando com um som mais fluido. Essa desafinada leve que o Vibrato dá, lembrando até um chorus, traz um tempero a mais ao seu som.

Destaques: TC Electronic Shaker Vibrato.

 

 

 

Equalizador

Muitos acham desnecessário, mas um bom equalizador pode fazer milagres com amplificadores com poucas opções de equalização. Com um equalizador de 6 bandas por exemplo, você consegue chegar nos detalhes de quais faixas de frequência quer alterar.

Destaques: MXR 6-band EQ, Boss GE-7 EQ.

 

 

 

Flanger

Flanger imita o som geralmente criado em estúdio, quando duas trilhas são mixadas juntas, mas umas está atrasada em relação a outra. Isso acaba por adicionar uma modulação ao seu som. O flanger pode adicionar desde uma pequena variação no seu som, até um efeito que mais parece um avião. 

Destaques: Boss BF-3 Flanger, TC Electronic Vortex Flanger.

 

 

 

Esse é o básico sobre os principais efeitos para guitarra (e para baixo também). O importante aqui é tomar esse post como um início de uma longa (e muito divertida) jornada da busca pelo timbre perfeito. Os próximos passos são: estudar, estudar e estudar. Quando mais você souber sobre o seu som e sobre o que há disponível no mercado, mais perto você chegará do timbre dos seus sonhos.

 

 


Comentários

Caio Lourran | Em 05/03/2018 09:57

Que post sensacional, obrigado por compartilhar! gostaria de sugerir esse cabo que estou usando para o meu pedal de guitarra, estou gostando muito da marca Santo Angelo -> https://www.cirilocabos.com.br/cabo-p10-p10-para-pedal-de-guitarra-santo-angelo-cirilocabos/p

Vistos Recentemente

{{item.titulo}}

Não disponível

opções de compra a partir de
Mais Vendido
(()
()
()
()
()
()
()
()

O que nossos clientes estão falando sobre nós:

Em 30 de Abril de 2018

Serviço profissional, funcionários solícitos, e com know how e experiência!!! Nota 1000!!!

Gil Tandeta Gregorio

Produto: ESP Eclipse II Japan

Em 2 de Maio de 2018

Produto novo e bom. Ótimo SAC, sempre disponíveis para esclarecer minhas dúvidas. Parabéns! Indico muito!

Ana Beatriz Gomes Bezerra

Produto: Ukulele Shelby Su 23 M Concert

Em 02 de Maio de 2018

Ótimo produto, e além do mais foi entregue antes do prazo. Satisfeito com a compra!

Lucas Gamesh

Produto: Violão Eletroacústico Flat Cutaway Nylon Nf-14 Preto Giannin

Em 4 de Maio de 2018

Paulo Tonon

Produto: Pedal Electro Harmonix Pitch Fork Com Nota Fiscal**

Em 8 de Maio de 2018

Produto foi entregue bem embalado e de acordo com as especificações. A entrega ocorreu 10 dias antes do prazo determinado. Super recomendo.

Produto: Violão Giannini Flat Eletroacústico Nf14 Bk Nylon C Afinador

Em 19 de Maio de 2018

muito bom! compra realizada, instrumento em mãos, parabéns pelo excelente atendimento! recomendo

Produto: Shelby by Eagle Soprano Su21m

Inscreva-se em nossa newsletter

para receber dicas, aulas e descontos exclusivos!